Igreja Católica Apostólica Romana

‘Celeiro de vocações’, Rebouças oferece mais um padre para a Diocese

Vivência de fé e dedicação na Pastoral Vocacional fizeram a paróquia ordenar sete sacerdotes.

Com uma população de aproximadamente 15 mil habitantes, a cidade de Rebouças – PR, que faz divisa com os municípios de Fernandes Pinheiro, São João do Triunfo, São Mateus do Sul, Rio Azul e Irati, já ofereceu para a Diocese de União da Vitória sete sacerdotes, além de vocações femininas para algumas Congregações Religiosas. Cidade interiorana, que cultiva forte raiz religiosa, Rebouças é vista na Diocese como uma das cidades “Celeiro de Vocações”.

Matriz Senhor Bom Jesus, Rebouças – PR. (Imagem: Diocese União da Vitória.

Além do próprio senso de fé cultivado na pequena cidade, o importante trabalho de sacerdotes que por ali passaram e de uma equipe de leigos da Pastoral Vocacional, organizada em 1983, gerou o resultado de tantas vocações que até hoje ainda brotam. “Nosso pároco atual, padre Alcione é fruto de um trabalho da primeira equipe da Pastoral Vocacional, depois vieram outros, e este ano temos a alegria de ter quatro seminaristas de nossa paróquia no Seminário se encaminhado também para o sacerdócio se Deus assim desejar”, diz Luzia, uma das integrantes da Pastoral Vocacional.

Iniciando sua caminhada vocacional como coroinha, e fruto do acompanhamento da Equipe Vocacional junto com o pároco, no dia 08 de abril, Ronaldo Adriano Rodrigues foi o sétimo padre da paróquia Senhor Bom Jesus, de Rebouças, a ser ordenado. A cidade, que além da igreja Matriz conta ainda com 24 capelas e 1 escola como local de missas, viveu naquele domingo a alegria de mais um vez ver os frutos da oração e do trabalho pelas vocações. Em 2017, a paróquia já havia ordenado dois sacerdotes que atualmente trabalham em São Mateus do Sul.

Primeiro filho do casal Renato Carlo Rodrigues e Maria Joana França Rodrigues, Ronaldo tem 24 anos, tendo como irmão mais novo Alex Júnior Rodrigues.

Ronaldo entre seus pais, Renato e Maria Joana; ao lado ,padrinhos de ordenação. No banco de trás, seu irmão Alex.

Em entrevista ao Jornal Estrela Matutina, da Diocese de União da Vitória, Ronaldo diz acreditar que sua vocação teve início quando ainda vinha para a igreja com seus pais. “Sem saber direito o que era, eu já achava bonito a pessoa do padre, via como alguém que fazia o bem, que ajudava as pessoas. E assim, por essa presença na igreja, pela oração dos meus pais, esse encantamento foi só aumentando. Cada opinião dada pelos meus pais na minha caminha me fortalecia ainda mais na vocação”, relembra o Diácono. 

O gesto de prostração revela total despojamento e a entrega total do candidato ao Ministério assumido, por amor ao Reino.

Controlando a ansiedade antes do início da celebração, Ronaldo que vinha atuando como diácono na paróquia Nossa Senhora Aparecida e Czestochowa, em São Mateus do Sul, relata que chegar à ordenação sacerdotal é uma realização, mas que exige grande responsabilidade. “Estou um pouco nervoso, mas é um nervosismo bom, diferente do nervosismo de outras atividades. Parece que você está entrando em um espaço que não é teu. É inexplicável, não tem como explicar essa sensação”, expressava ele admirado.

Do encantamento com a pessoa do padre quando ia às missas com os pais e quando auxiliava como coroinha, Ronaldo conta que durante a formação no Seminário sua consciência do papel do padre amadureceu muito. “Com a agitação de hoje muitas pessoas estão afastadas de Deus. Ouvem falar dele mas falta-lhes testemunho de um experiência. Vejo que o padre hoje deve ser ousado e fazer parte da vida das pessoas. Não podemos nos acomodar”, afirmava ele, com entusiasmo.

Dom Leomar pronunciando a Oração Consecratória sobre o novo padre.

A missa com o rito de ordenação deu-se início às 15h e contou a presença de diversos padres, diáconos, seminaristas, além de fiéis leigos e lideranças de toda a paróquia, que vieram celebrar a ordenação do mais novo sacerdote da Diocese e da cidade.

Com a Diocese de União da Vitória Vacante (sem bispo), Ronaldo fez o convite para o ordenar, à Dom Leomar Brustolin, bispo auxiliar da arquidiocese de Porto Alegre – RS.

 

O bispo esteve no início do ano pregando retiro ao clero da Diocese e ministrando a aula inaugural do Seminário Diocesano, ocasião na qual recebeu o convite, o qual aceitou com alegria. Dom Leomar tem três anos de bispo, já ordenou alguns diáconos mas estava pela primeira vez ordenando um sacerdote. Para ele, o momento é de muita Graça, pois toda ordenação remete ao Plano de Salvação de Deus para com a humanidade. “A ordenação presbiteral é a continuidade desta oferta que o Senhor sempre nos dá, da sua criação, salvação e santificação. Por isso, ele sempre escolhe e envia mensageiros ao seu povo. O que conta nesta hora não é a nossa pessoa, mas o grande plano de salvação ao qual estamos inseridos”, explicava o bispo.

Após ordenado, padre Ronaldo concelebra com o presbitério, em comunhão com os padres e o bispo.

Em sintonia com a constatação do diácono Ronaldo sobre a carência de Deus por parte das pessoas no mundo atual, o bispo também destacou o papel do padre hoje. “Vejo que deve haver por parte do padre, como diz o Concílio Vaticano II, um Aggiornamento (um voltar às fontes). O padre precisar ser um homem de Deus ao mundo, ele precisa estar atento à realidade, cuidando da linguagem, mas trazer aquela luz da fonte da igreja primeira para o século 21”, testemunha Dom Leomar.

Fazendo parte do Regional Sul 2 da CNBB, a Diocese de União da Vitória vive também o “Ano Vocacional” proposto pelo Regional, mas que está atingindo vários outros Estados e Regionais do Brasil. Para Dom Leomar, além da ordenação em si, o próprio testemunho de fé de uma comunidade já é um campanha vocacional. “Pelo próprio mistério que a ordenação em si condensa ela possibilita outros chamados, mas a melhor promoção vocacional é o exemplo de fé da comunidade, e Rebouças deve ser uma comunidade muito feliz, pois mesmo havendo mudança de presbíteros e de líderes pastorais, continua havendo uma fecundidade vocacional”, diz o bispo admirado.

“A ordenação do Ronaldo aqui em Rebouças é um ponto de chegada de um trabalho muito bem feito, mas também um ponto de partida. Continuamos precisando de mais presbíteros e consagrados para a Igreja; isso é urgente e precisamos nos envolver”, enfatizava o bispo.

Padre Ronaldo distribuindo a Eucaristia aos fiéis, em sua missa de ordenação.

De início, nesses meses, padre Ronaldo passará pelas paróquias da diocese para que o povo diocesano possa melhor conhecê-lo, além de fazer essas visitas também como trabalho vocacional.

As primeiras missas do neo-sacerdote foram celebradas nos dias 10 de abril, às 19h, na Comunidade do Marmeleiro, Rebouças; dia 12 de abril, às 19h, na Matriz Senhor Bom Jesus, Rebouças; dia 14 de abril, às 19h, na Matriz N. Sr.ª Ap.ª e Czestochowa, em São Mateus do Sul; e no dia 15 de abril, às 9h, também na Matriz N. Sr.ª Ap.ª e Czestochowa, em São Mateus do Sul.

Texto: Marcelo S. de Lara
Setor de Comunicação
Diocese de União da Vitória
Fotos: Walderis Noivas e Eventos

GALERIA DE FOTOS
Fotos: Walderis Noivas e Eventos

FOTOS (Dispositivo Móvel)
Fotos: Marcelo S. de Lara

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*