Igreja Católica Apostólica Romana

‘CATEQUESE… Sobre o que estamos falando?’

ARTIGO: Por, Célio Reginaldo Calikoski - Coordenador Diocesano da Catequese.

Catequese… Sobre o que estamos falando? É o título do sucesso editorial religioso do momento. Em vinte dias esgotou-se a primeira edição de acordo com a Editora Vozes. O livro foi escrito por Débora Regina Pupo, atual Coordenadora de Catequese do Regional Sul II, e traz um tema de suma importância para todos e todas as catequistas.

O livro reflete sobre o que não é catequese e o que é catequese. Ao responder essas questões alguém responderia o seguinte: catequese não é aula, catequese não é palestra, catequese não é falatório; catequese é são encontros semanais, catequese é obrigação da Igreja, catequese é fazer a Primeira Comunhão e Crisma.

Mas o que é catequese mesmo?. Catequese é fazer ressoar, mas ressoar o quê? De acordo com Débora Regina Pupo: “A tarefa da catequese, portanto, é fazer eco a mensagem recebida do alto: a Boa Nova anunciada por Jesus de Nazaré. (Catequese… Sobre o que Estamos Falando, p. 10). O catequista, a ser convidado para a missão de catequizar, é chamado a fazer ressoar a Palavra de Deus em todo lugar, especialmente junto aos seus catequizandos. (Débora, p. 11).

Para o catequista obedecer esse chamado precisa aproximar-se da palavra de Deus, é preciso fazer da Bíblia o eco da Palavra de Jesus Cristo. A catequese faz a mediação do encontro do cristão com a pessoa de Jesus Cristo, “…embora o caráter de instrução [da catequese] seja forte, não se trata de transmitir conteúdos, mas de apresentar uma Pessoa, de conduzir os catequizandos a se aproximarem de Jesus, de fazer eco a um amor imenso que não mede esforços para alcançar a todos”. (Débora, p. 11).

Outro ponto importante para todos que aceitam essa importante missão é conhecer o processo histórico da catequese, conhecer a evolução histórica da catequese e como aconteceu essa evolução. A formação pessoal dentro da missão aceita é de suma importância para evitar-se o erro de repetir ações fora do contexto atual.

 Três aspectos importantes abordados pela autora:

– Catequese como educação da fé: para melhor entender esse item temos que antes entender o que é fé. Depois de entendido o que é fé, podemos ter melhor compreensão do que é e qual o objetivo da catequese: “Entende-se, assim, que a fé é uma resposta, a catequese é a educação da fé e vamos à catequese para conhecer Jesus, que traz uma proposta de amizade ao catequizando.” (Débora, p. 14)

– Catequese como doutrina cristã: primeiro o cristão adere a fé através do encontro pessoal com Cristo. E a doutrina cristã o orientará para o caminho a seguir, através da doutrina a pessoa conhecerá os ensinamentos de Cristo e da Igreja. “Pode-se dizer que ensinar a doutrina é apontar aos catequizandos por onde caminhar. Para isso, o catequista precisa ter um amplo, e atualizado, conhecimento da doutrina para não cair em fundamentalismo.” (Débora, p. 15).

– Catequese orgânica e sistemática: a catequese necessita de um itinerário, um caminho, um processo, isso é catequese orgânica. A catequese necessita ser, também ordenada, constante, contínuo, isso é catequese sistemática. “Podemos dizer que se trata de um conceito voltado para o fazer. Uma vez orgânico está relacionado ao ser da catequese enquanto ação educativa, o sistemático está relacionado com o fazer da catequese enquanto continuidade. Por essa razão, é preciso atenção aos métodos, aos conteúdos e às atividades”. (Débora, p. 17).

Por tudo isso é importantíssimo todos nós catequistas debruçarmos sobre esse livro e estudarmos juntamente com nossos colegas os temas nele apresentados.

Sugestão:

Sugiro que, esse estudo, não fique restrito somente aos catequistas mas que seja oferecido a todas as pastorais, pois todos temos a missão de catequizar. Sugiro também que esse estudo seja feito pelos padres também, pois eles são os primeiros catequistas de uma comunidade.

Referência: PUPO, Débora Regina.
Catequese… Sobre o que estamos falando?
Petrópolis, Vozes, 2018
Contribuição: Célio Calikoski

Notícias Relacionadas
1 comentário
  1. Rita de Cássia Diz

    A autora, com clareza e linguagem acessível, aborda a Catequese de forma a nos levar a vivenciá-la como um caminho apaixonante de encontro com o Senhor. A analogia mostrada entre a “Catequese da Castanheira” e “Catequese da Árvore de Natal” faz-nos refletir se realmente estamos conduzindo esta Pastoral pelos anseios do Mestre, enraizada em firmes propósitos e de autênticos discípulos, ou se estamos apenas “enfeitando” e tornando perecível o anúncio e o testemunho que o Senhor nos confiou.
    Um livro que veio para tornar-se um companheiro inseparável de catequistas que buscam com seu compromisso evangelizador dedicar-se, cada vez mais, a uma Catequese que seja um itinerário de experiências compartilhadas pela força do amor de Deus! Leitura MUITO recomendada!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*