Igreja Católica Apostólica Romana

Entre os sete novos santos, um destaque a Dom Oscar Romero

"Certa vez, referiu-se à Crisma como o “sacramento dos mártires”.

Dirigindo-se aos mais de 70 mil fiéis presentes na Praça São Pedro na Missa deste domingo, 14, em que foram proclamados sete novos Santos, o Papa Francisco recordou que somos chamados a viver a “vocação comum à santidade, não às meias medidas, mas à santidade”. “Jesus é radical. Dá tudo e pede tudo (…). Não Se contenta com uma «percentagem de amor»: não podemos amá-Lo a vinte, cinquenta ou sessenta por cento. Ou tudo ou nada”.

E os novos santos, “em diferentes contextos, traduziram na vida a Palavra de hoje: sem tibieza, nem cálculos, com o ardor de arriscar e deixar tudo. Que o Senhor nos ajude a imitar os seus exemplos”, disse Francisco. 

Os sete novos santos canonizados foram – O Papa Paulo VI, Dom Oscar Romero, Francisco Spinelli, Vicente Romano, Maria Catarina Kasper, Nazária Inácia e Núncio Sulprizio.

                                                                     Imagem: Fonte: Site Vatican News.

Após o Domingo da Canonização, na manhã desta segunda-feira, 15, Francisco recebeu, na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de cinco mil peregrinos de El Salvador e da América Latina, que vieram para a Canonização de Dom Oscar Romero.

Ao saudar os fiéis, que vieram acompanhados por seus Bispos, sacerdotes e inúmeros religiosos e religiosas, o Papa recordou o exemplo do novo santo de El Salvador. Começando pelos Bispos, disse:

São Oscar Romero soube encarnar, com perfeição, a imagem do Bom Pastor que dá a vida pelas suas ovelhas. Por isso, agora e, sobretudo, desde a sua canonização, vocês podem encontrar nele ‘exemplo e estímulo’ no ministério que lhes foi confiado: exemplo de predileção, para os mais necessitados da misericórdia de Deus; estímulo para testemunhar o amor de Cristo e a solicitude pela Igreja”.

Inspirar-se no estilo de vida do novo santo

A seguir, Francisco dirigiu-se aos numerosos sacerdotes e religiosos e religiosas de El Salvador, chamados a viver o compromisso cristão, inspirados no estilo de vida do novo santo.

São Oscar Romero concebia o sacerdote entre dois grandes abismos: o da infinita misericórdia de Deus e o da infinita miséria dos homens. Queridos irmãos, esforcem-se, sem cessar, para realizar este infinito anseio de Deus de perdoar os homens, que se arrependem de suas misérias, e abrir os corações de seus irmãos à ternura do amor de Deus, também mediante a denúncia profética dos males do mundo”.

                                                                            Imagem Fonte: Site Vatican News.

Enfim, o Papa saudou, cordialmente, os numerosos peregrinos de El Salvador e de outros países latino-americanos.

Ele repetia, com vigor, que todo católico deve ser mártir, porque mártir significa dar testemunho da mensagem de Deus aos homens. Deus quer estar presente em nossas vidas e nos convida a anunciar a sua mensagem de liberdade para toda a humanidade. Somente nele podemos ser livres do pecado, do mal, do ódio em nossos corações; livres para amar e acolher o Senhor e nossos irmãos e irmãs. Esta verdadeira liberdade, aqui na terra, passa pela preocupação com o homem concreto, para despertar em cada coração a esperança da salvação”.

Paz e reconciliação a todos os povos da América Latina

Todavia, frisou Francisco, “sabemos bem que não é fácil agir assim”. Por isso, precisamos do apoio da oração e de estar unidos a Deus e em comunhão com a Igreja. São Oscar Romero dizia que “sem Deus e sem o ministério da Igreja isso não é possível”. Certa vez, referiu-se à Crisma como o “sacramento dos mártires”: “sem a força do Espírito Santo, os primeiros cristãos não teriam resistido às provações da perseguição, não teriam morrido por Cristo”.

Dom Oscar Romero junto com o papa Paulo VI. Ambos canonizados santos por Francisco neste domingo.

Ao término de seu pronunciamento o Papa disse ainda:

Dom Oscar Romero: Fonte – Site Frates in Unum.com

Envio a minha saudação a todo o Povo de Deus, em peregrinação em El Salvador, que vibra, hoje, pela alegria de ver um de seus filhos elevado à glória dos altares. Seus habitantes têm uma fé viva, que expressa em diferentes formas de religiosidade popular e à qual conforma a sua vida social e familiar. Todos devem cuidar do Povo santo de Deus… não o escandalizem”.

Profundo conhecedor de Dom Romero, Pe. Juan Carlos Rengucci, Sacerdote argentino da Pia Sociedade São Caetano falou ao Vatican News dsignificado e a importância particular desta canonização não somente para El Salvador, mas para toda a Igreja na América Latina. Pe. Juan Carlos Rengucci  morou seis anos em El Salvador e em seus estudos superiores eclesiásticos pesquisou também os escritos pastorais do novo santo.

 

 Testemunho do sacerdote sobre Dom Oscar.

Fonte: Site Vatican News
Postagem: Pascom Diocesana

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*