Igreja Católica Apostólica Romana

O sentido de caminhar juntos fortaleceu a presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil

“O papa Francisco vem insistindo numa Igreja sinodal. É a Igreja do diálogo, da escuta, da partilha, da comunhão. De ouvidos atentos para que todos os filhos da Mãe Igreja se sintam acolhidos e cuidados na busca da comunhão com Deus”, declara o bispo de Caçador (SC) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Severino Clasen.

Nesse contexto, a “Sinodalidade da Igreja e o protagonismo dos Cristãos leigos e leigas”, foi o tema escolhido para a 9ª Assembleia Nacional dos Organismos do Povo de Deus, que aconteceu em Aparecida (SP), entre os dias 22 e 25 de novembro. O evento contou com a participação das entidades que congregam os bispos (CNBB), padres (CNP), diáconos (CND), religiosos e religiosas (CRB), consagrados seculares (CNIS) e os cristãos leigos e leigas (CNLB).

A busca pela sinodalidade (o sentido de caminhar juntos) abriu o diálogo para a motivação e aprofundamento da presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil. Em entrevista ao portal da CNBB, dom Severino, destaca que a presença entusiasta de todos os organismos, revelando seu grande amor à Igreja de Jesus Cristo, nesse momento histórico dentro do Ano Nacional do Laicato revelou a grandeza e a beleza da nossa Igreja Católica Apostólica Romana.

“Todos somos membros ativos pela graça de Deus e juntos podemos eliminar as diferenças, demonstrando que a comunhão e a unidade revelam a força da graça divina agindo nas pessoas”, ressalta dom Severino.

Confira a íntegra da entrevista:

O que foi discutido em relação a sinodalidade da Igreja e o protagonismo dos cristãos leigos e leigas?

O papa Francisco vem insistindo numa Igreja sinodal. É a Igreja do diálogo, da escuta, da partilha, da comunhão. De ouvidos atentos para que todos os filhos da Mãe Igreja se sintam acolhidos e cuidados na busca da comunhão com Deus. Ir ao encontro das pessoas que perderam o vínculo com a Igreja, ouvi-los e provocar um diálogo aberto e fraterno, muda a postura de uma Igreja autoritária, para uma Igreja regada de ternura e de sensibilidade humana. A vida está acima das instituições e normas. Essa Igreja revela o rosto humano de Deus em Jesus Cristo que veio salvar os que estavam perdidos, recuperar a beleza, dar afago às pessoas afastadas para provocar maior comunhão e unidade entre os membros dos que estão no dia a dia na vida eclesial.

O protagonismo dos cristãos leigos e leigos alimenta e abre caminhos para que a Igreja se torne sinodal, pois, participa, contribui, age com amor e pertença, sendo a Igreja viva e entusiasta no mundo atual. Se torna fermento na massa, brilho na sociedade, participante das decisões da vida cotidiana sendo semente do Evangelho na família, nas instituições sociais e de decisão.

A sinodalidade entre os organismos também foi abordada?

Foi ótima a assembleia dos Organismos do Povo de Deus. A presença entusiasta de todos os organismos, revelando seu grande amor à Igreja de Jesus Cristo, nesse momento histórico dentro do Ano Nacional do Laicato revelou a grandeza e a beleza da nossa Igreja Católica Apostólica Romana. Os rumos tomados são de continuidade na busca da sinodalidade, pois, é no espírito de pertença que a comunhão dos Organismos fortalece e convence em ser Igreja. Todos somos membros ativos pela graça de Deus e juntos podemos eliminar as diferenças, demonstrando que a comunhão e a unidade revelam a força da graça divina agindo nas pessoas. Esse jeito de ser Igreja elimina o individualismo, o isolamento, o egoísmo e revela um rosto fraterno entre os diversos Organismos.

Todos os Organismos são uma bênção, um valor imensurável para fomentar as boas relações, os projetos de pastorais, uma ação evangelizadora eficiente, madura e pronta na Igreja e sobretudo, na sociedade. Por isso, percebemos nos corredores dessa assembleia a esperança, o gosto de querer mais assembleias desse porte para que todos possamos nos sentir participantes, sugerindo caminhos, alertando sobre as ameaças e situações de injustiça para que os menos favorecidos possam se sentir novamente amados e acolhidos no seio da Igreja.

Qual o sentido dessa assembleia?

O sentido é resgatar as Assembleias dos Organismos do Povo de Deus que há alguns anos não ocorria. Retomar a sinodalidade da Igreja é a decisão mais feliz para fortalecer a Igreja, que dentro do Ano Nacional do Laicato, chama a todos os batizados, especialmente os cristãos leigos e leigas, por serem a maioria absoluta dentre os Organismos do Povo de Deus, para serem sal da terra e luz do mundo (Mt 5,13-14), mas também fermento na massa.

As reflexões conduzidas dentro da assembleia sobre a sinodalidade da Igreja, sobre o protagonismo do laicato na Igreja e a na sociedade, as contribuições para enriquecer as Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, a partilha e olhar para a conjuntura nacional e outros, registraram a importância e a riqueza dessa Assembleia. Ver religiosos e religiosas, institutos seculares, diáconos, presbíteros, cristãos leigos e leigas e bispos unidos, sorrindo, mas também e sobretudo, na análise de conjuntura revelando rostos preocupados para com os que mais sofrem e são esquecidos pede uma verdadeira Igreja do amor, da acolhida, uma Igreja em saída. Manifestações de cidadania, do cuidado pela natureza, dos rumos da nação, foram momentos de intensa reflexão e preocupação, mostrando o quanto que o Evangelho deve ser semeado nas lindas terras desse imenso Brasil.

Quando será a próxima assembleia?

A própria decisão de agendar a próxima assembleia para antes da Assembleia Geral da CNBB, estrategicamente é importante. Os Organismos do Povo de Deus podem contribuir na elaboração das novas Diretrizes da Ação Evangelizadora, indicando sugestões para a Comissão preparatória do documento para a Igreja no Brasil. Não podemos imaginar ou querer uma Igreja conduzida somente pelo clero, ela será fecunda quando em unidade e comunhão com todos os batizados, respeitando as funções, as obrigações e os deveres de cada Organismo.

A mensagem final apresenta como uma síntese daquilo que aconteceu na Assembleia dos Organismos do Povo de Deus. Esta mensagem está disponível nas redes sociais e no site da CNBB.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

*