Igreja Católica Apostólica Romana

Cerco de Jericó encerra-se neste domingo na Catedral

"...durante sete dias a comunidade reza para vencer as muralhas da falta de fé, pecados, violência, tudo o que nos impede de viver como verdadeiros cristãos”.

Santíssimo Sacramento exposto no altar da Catedral. (Foto: Marcelo).

Neste domingo, 23, encerra-se mais uma edição do Cerco de Jericó, na Catedral Sagrado Coração de Jesus, em União da Vitória. Iniciado no dia 16 de junho, a 43ª edição do Cerco de Jericó envolve fiéis leigos de bairros da cidade, bem como de comunidades de Porto União – SC.

Comentando da origem da tradição do Cerco de Jericó, padre Silvano Surmacz, pároco da Catedral, explica que a iniciativa se deu na Polônia, em 1979, por ocasião da tentativa da visita do Papa João Paulo II no país, que era governado pelo regime comunista na época. “Durante sete dias, 24h, o povo rezava o terço, sendo interrompido apenas pela celebração da Santa Missa, que é o ponto alto do Cerco de Jericó. Sendo feito mais uma vez o Cerco de Jericó, em meados de junho daquele ano, o governo autorizou a entrada do papa, que pela primeira vez visitava a Polônia como Papa”, comentou o padre.

Áudio padre Silvano:

Padre Silvano, pároco da igreja Catedral, retirando o Santíssimo para o início da celebração da Santa Missa, no Cerco de Jericó.

 

Ao explicar a raiz bíblica do ‘Cerco’, padre Silvano disse que a devoção está fundamentada no Livro de Josué, no Antigo Testamento, quando Josué em vista da conquista da Terra Prometida, tenta entrar na cidade de Jericó. “Como Jericó era cercada por muralhas, ele recebe uma ordem de Deus, e durante sete dias, a cada dia ele dá uma volta. E no sétimo dia ele dá com o povo sete voltas ao redor da cidade. Assim que tocam as trombetas, as muralhas caem. O sentido espiritual é que durante sete dias a comunidade reza para vencer as muralhas da falta de fé, pecados, violência, tudo o que nos impede de viver como verdadeiros cristãos”, explica padre Silvano.

Padre Silvano:

Participando há doze anos das edições do ‘Cerco’, Ângela Maria Zelma, da comunidade Ponte Nova, de União da Vitória, comenta da importância desta devoção e das graças recebidas por ela e por membros de sua família. “Eu já consegui muitas graças e também meu filho. São muitas horas de oração. Tendo fé você consegue tudo na oração. Passei por um problema de saúde grave e foi no ‘Cerco’ que consegui a Graça”, testemunha ela, agradecida.

Após  a oração do Terço com outros fiéis presentes no Cerco, Ângela faz sua oração pessoal diante de Jesus na Eucaristia, do qual recebeu muitas Graças.

 

Áudio Ângela Maria

Cada fiel que chegava à Catedral, antes de fazer suas orações, depositava confiante na urna, sua intenção, em pequenos papéis.

 

A 43ª edição do ‘Cerco’, que se encerra neste domingo, 23, tem como tema: ‘Para Deus nada é impossível’. O encerramento se dará com a apresentação das intenções, que depositadas em uma urna durante os sete dias, serão queimadas no encerramento do ‘Cerco’, como explica o pároco. “As intenções são queimas para expressar que, assim como a fumaça sobe ao ‘céu’, também as intenções sobem até Deus através das orações e celebrações das santas missas”, comentou padre Silvano, se preparando para uma das celebrações da Santa Missa.

Padre Silvano:

Para o padre, a devoção é um momento especial que a comunidade vive todo ano na Catedral de União da Vitória.

Canto:

Texto: Marcelo S. de Lara
Setor de Comunicação
Diocese de União da Vitória

FOTOS

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.