Igreja Católica Apostólica Romana

Diocese celebra Corpus Christi

“Celebrar o Corpus Christi para o cristão católico é de suma importância, pois Deus não nos deu só Sua Palavra para caminharmos na vida, mas a Eucaristia, como sustento para a prática da Palavra".

De camiseta Azul, Roseli Maria, junto com voluntários, enfeitando os tapetes.

A rica celebração de Corpus Christi, que celebra a presença real de Jesus na Eucaristia, nas espécies do pão e do vinho foi vivida mais uma vez na Diocese de União da Vitória com espírito de fé e alegria pelos fiéis leigos, em comunhão com seus pastores.

O enfeite dos tapetes decorativos envolveu mais uma vez pessoas de diversas idades e de várias Pastorais e Movimento da Igreja, como foi o caso de Roseli Maria Silva, da igreja Catedral, em União da Vitória, que iniciou as atividades há alguns anos pela Legião de Maria e hoje ajuda pela Pastoral da Criança. Esse evento é algo lindo, pois é a Festa de Jesus Eucarístico. Não somos nada perante esse Cristo; Ele é nossa vida. Sempre enfeito um coração ou um cálice”, comentou Roseli.

Áudio Roseli:

 

Neste ano, em União da Vitória, pela terceira vez a Igreja Catedral se uniu na celebração com as paróquias São Judas Tadeu, Nossa Senhora de Fátima e paróquia Nossa Senhora das Vitórias, de Porto União – SC. Para padre Ederson Iarochevski, pároco da paróquia Nossa Senhora das Vitórias, essa unidade expressa uma beleza e ao mesmo tempo une as pessoas em um único objetivo. “É uma alegria realizar mais uma vez juntos essa celebração. É uma comunhão de comunidades e cada vez mais vemos o envolvimento maior das pessoas”, mencionou o padre.

Áudio Padre Ederson:

 

Padre Ederson na Oração Eucarística. Ao lado esquerdo :Dom Walter Jorge, e Dom Walter Ebejer. À direita: padre Silvano e padre Iomar Otto.

 

Dom Walter Jorge, que presidiu a celebração em frente a Matriz de Porto União – SC, comentou da unidade entre as paróquias das dioceses e cidades diferentes como algo enriquecedor. “É muito expressivo realizar este ato juntos, pois um dos sentidos da Eucaristia é a Comunhão. Não tem sentido fazermos comunhão com o Senhor e não fazermos entre nós. Essa união entre as duas dioceses e paróquias deixa bem expresso essa Comunhão. Mas isso não pode ser só um símbolo, mas também na vida, com os pobres, com os sofredores”, partilhou o bispo de União da Vitória.

Áudio Dom Walter Jorge:

 

Procissão saindo da Matriz Nossa Senhora das Vitórias, com fiéis das paróquia de Porto União e de paróquias de União da Vitória.

 

Ao falar da importância da Celebração para os fiéis católicos, Dom Walter Jorge disse que além da sua Palavra, Deus deu também a Eucaristia como sustento para a prática da Palavra. “Celebrar o Corpus Christi para o cristão católico é de suma importância, pois Deus não nos deu só Sua Palavra para caminharmos na vida, mas a Eucaristia, como sustento para a prática da Palavra. Naquele Memorial que a Igreja faz à cada missa, é recordação viva, não apenas lembrança. Jesus nos leva até aquele acontecimento e traz o acontecimento até nós. Participamos da Ceia com Ele”, explicou Dom Walter Jorge.

Áudio Dom Walter Jorge:

 

Dom Walter Jorge, em homilia, na Missa Campal em frente à igreja de Porto União.

Na homilia que proferiu aos inúmeros fiéis que participaram da Celebração campal, Dom Walter Jorge passando pelas leituras comentou do Fundamento da Instituição da Eucaristia já prefigurado no Antigo Testamento. “Deus havia predito que um dia ele daria um sacerdote eterno, que daria um alimento de vida eterna. Tudo falava deste dia no Antigo Testamento. Vimos na leitura que fala do Rei Melquisedec que ao invés de oferecer animais, ofereceu pão e vinho, e assim também no Salmo que cantou essa ação. Na segunda Leitura, São Paulo diz que o que ele recebeu ele transmite. ‘O Senhor naquela Ceia deu uma ordem: Tomando o pão disse, Tomai e Comei; e tomando o vinho disse: Tomai e Bebei. Fazei isto em minha memória”, refletia o bispo.

Homilia:

Homilia

 

A celebração da santa missa teve início às 15h, seguida da procissão pelas ruas de Porto União e União da Vitória, até chegar à igreja Catedral, onde foi dada a Bênção com o Santíssimo Sacramento. A condução de cantos e orações foi feita pelo padre Ederson e pelo padre Silvano Surmacz, pároco da Catedral.

Adoração ao Santíssimo em um dos altares preparado no caminho da Procissão

WordEm entrevista ao Site da Diocese, o novo bispo diocesano comentou da importância de todos os fiéis participarem da celebração da santa missa, mesmo aqueles que por algum impedimento não podem comungar da Eucaristia. “Ninguém deveria se afastar da igreja. Deus tem muitas formas de se dar a nós: na Eucaristia, mas também na Palavra. Então aqueles que por ventura estejam impedidos, que procurem seu pároco para ver se há um caminho de retorno. Não deve se considerar afastado de tudo, mas buscar outros meios de comunhão se não pode fazer pela Eucaristia. Mas que ninguém se julgue condenado por Deus ou afastado por ele”, orientou Dom Walter Jorge.

Dom Walter Jorge:

 

Além das paróquias de União da Vitória, as demais paróquias da Diocese também celebraram com fervor o dia de Corpus Christi, inclusive fazendo a celebração em conjunto com paróquias do Rito Ucraniano Católico, como foi o caso da paróquia Nossa Senhora das Graças e São José, de General Carneiro, que celebrou em unidade com a capela São Miguel, do Rito Ucraniano, atendida pelo padre Juliano.

À esquerda padre João Ari Schulz, de General Carneiro, e padre Juliano, do Rito Ucraniano, celebrando juntos Corpus Christi.

 

Texto: Marcelo S. de Lara
Setor de Comunicação
Diocese de União da Vitória

FOTOS

CORPUS CHRISTI EM GENERAL CARNEIRO

CORPUS CHRISTI EM PAULA FREITAS

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.