Igreja Católica Apostólica Romana

Fieis devotos celebram a ‘Mãe Aparecida’ copadroeira da Catedral e da Diocese

Fiéis da Catedral Sagrado Coração de Jesus, de União da Vitória celebraram na manhã deste sábado, 12, a Festa de Nossa Senhora Aparecida.

A missa que teve início às 10h, foi presidida por Dom Walter Jorge, bispo diocesano, e concelebrada pelo padre Silvano Surmacz, pároco da Catedral e pelo padre Mário Glaab.

A paróquia da Catedral que tem seu padroeiro o Sagrado Coração de Jesus, recebeu um decreto de Dom Agenor Girardi, em 2017, (falecido em 08 de fevereiro de 2018), confirmando Nossa Senhora Aparecida como copadroeira, tendo por base um relato do Livro Tombo da Catedral, que segundo o padre Silvano, traz um registro do dia 08 de dezembro de 1931 descrevendo a grande devoção dos fiéis desde o início da paróquia, em 1917.

“O Livro Tombo fala que nesta data com ‘o costumeiro brilho’, foi celebrada a Festa em Honra a Nossa Senhora Aparecida, segunda padroeira da paróquia Sagrado Coração de Jesus. A expressão ‘costumeiro brilho’, nos confirma que a comunidade de União da Vitória escolheu Nossa Senhora Aparecida como sua segunda padroeira. Dom Agenor Girardi, em 12 de junho de 2017 decreta novamente Nossa Senhora Aparecida copadroeira da paróquia da Catedral e também de toda a Diocese de União da Vitória. E naquela ocasião também recebíamos a réplica fiel da imagem, do Santuário de Aparecida, que se encontra até hoje em nossa igreja Catedral”, explica o pároco.

Áudio Padre Silvano:

Comentando as Leituras da Liturgia em sua homilia, Dom Walter Jorge, citando o texto do Evangelho, explicava que no Milagre das Bodas de Caná, Maria fez a ponte entre as necessidades dos convidados e Jesus, e ainda ouve de seu filho, a expressão ‘Mulher’, a qual substitui o papel não realizado por Eva no Paraíso. “Ela vê, Ela percebe, Ela vai até o Filho e diz: eles não tem mais vinho. E Ele olhado para ela, vai chama-la de Mulher, o título que Eva não comportou, como Mãe da Humanidade”, falava o bispo.

Áudio Dom Walter Jorge:

Adaptando para a realidade atual, Dom Walter exortou aos fiéis a buscarem por meio de Maria, a Paz, a reconciliação, em um contexto onde as falsas notícias geram discórdia e divisão inclusive dentro da própria igreja. “Nesses tempos em que o Brasil se vê tão dividido, semeando discórdia inclusive dentro do Corpo Místico de Cristo, a Igreja, Maria! ajuda-nos a reconquistar a fraternidade perdida, porque nosso povo se encontra dividido até dentro da Casa de Deus. Maria ajuda-nos a reencontrar aquele que é o Príncipe da Paz, Jesus”, exortava Dom Walter Jorge.

Áudio Dom Walter Jorge:

O dia 12 de outubro, que dá destaque também ao ‘Dia da Criança’, foi lembrado na celebração. Ao final da missa, Dom Walter Jorge chamou pais e filhos em frente ao presbitério para rezarem juntos a oração da Ave-Maria, consagrando a vida e o futura das crianças à Nossa Senhora.

 Com sorriso e brilho nos olhos, as crianças também receberam das mãos dos seminaristas, sacolinhas com doces.

Os festejos pelo dia da copadroeira continuaram no salão da Catedral por toda a tarde com um café colonial.

Texto: Marcelo S. de Lara
Setor de Comunicação.

REFLEXÃO de Dom Walter Jorge, na Íntegra Aqui

GALERIA DE FOTOS

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.