Igreja Católica Apostólica Romana

Missa alemã na Catedral completará dois anos em 2020

Prestes a completar dois anos no início de 2020, a missa em língua alemã, celebrada por um grupo de fiéis em União da Vitória, vem valorizando a cultura e a religiosidade herdada de pais, avós e de outros imigrantes que se instalaram no sul do Paraná.

Fiéis descendentes de alemães, na missa alemã, presidida pelo padre Mário Glaab, na Catedral Sagrado Coração de Jesus, em União da Vitória.

 

Todo quarto sábado de cada mês, na Catedral de União da Vitória, uma missa em língua alemã é presidida às 15h, pelo padre Mário Fernando Glaab, que atua no Seminário Diocesano, em União da Vitória, mas que é natural da cidade de Porto Vitória, cidade há 15 Km de União da Vitória e que tem forte presença da cultura germânica.

Padre Mário explica que a ideia da missa foi recuperar as tradições da religiosidade da cultura alemã. A celebração teve início na igreja do Bairro São Pedro, em Porto União, depois, devido a um grupo de cantos em língua alemã, que havia em União da Vitória, a missa passou a ser celebrada na igreja Catedral. “Tivemos essa ideia de recuperar as tradições da religiosidade da cultura alemã. O grupo de cantos daqui se dispôs a preparar a liturgia e nós então iniciamos no início do ano de 2018. Cada vez mais as pessoas estão participando e valorizando esta nossa inciativa”, explica padre Mário.

Padre Mário: 

 

Ainda segundo o padre, a celebração resgata valores e sentimentos das famílias, além de proporcionar para as gerações mais novas a continuidade das tradições alemãs. “As pessoas gostam muito porque isto mexe com os sentimentos das famílias que são de tradição da língua alemã, que em casa cantavam, rezavam, e agora tem esta oportunidade de ter uma vez por mês esta missa que traz os valores para serem celebrados e conhecidos pelas gerações mais novas”, diz padre Mário.

Padre Mário:

Um dos membros do Coral “Grupo de Canto Freunde der Zwillingsstädte” (Amigos das Cidades Gêmeas), Ivo Werle, diz que o Coral que tem cinco anos, teve início para valorizar cantos tradicionais da cultura germânica, e a proposta da missa veio a agregar ao grupo. “A ideia principal foi de reunir os amigos, mas foi se tornando mais sério o envolvimento com a cultura alemã. O padre Mário fazendo parte de nosso grupo deu a ideia de fazermos a missa. Estamos chegando a dois anos e sempre com todo esse sucesso”, expressa ele contente.

Ivo Werle:

Coral “Grupo de Canto Freunde der Zwillingsstädte” (Amigos das Cidades Gêmeas). No canto esquerdo, no teclado, Ivo Werle.

 

A satisfação de Ivo Werle, que toca teclado e canta no grupo, está segundo ele de ter tido a possibilidade de expressar o dom da música que recebeu de Deus. Sempre se perguntava como poderia retribuir o talento recebido. “Eu recebi esse dom, e sempre me perguntava como poderia retribuir o dom que recebi da música, do canto. Comecei a tocar na igreja. Hoje faço parte de vários grupos, além do grupo alemão que e que é uma maravilha”, partilha o tecladista.

Ivo Werle:

No mês de dezembro, além da missa na Catedral, padre Mário também celebra a missa alemã na matriz São Miguel Arcanjo, em Porto Vitória, paróquia de onde é originário e na qual também atuou como pároco anos atrás.

Texto e Fotos: Marcelo S. de Lara
Setor de Comunicação

MOMENTO DA COMUNHÃO:

FOTOS

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.