Igreja Católica Apostólica Romana

4ª igreja matriz de Antonio Olinto é ‘Consagrada’ após seis anos de construção

Após a edificação da 1ª igreja matriz no município de Antonio Olinto - PR, em 1897, a 2ª, em 1924, e a 3ª, em 1958, a comunidade local inaugura sua 4ª matriz.

No dia 12 de dezembro, Festa Litúrgica de Nossa Senhora de Guadalupe, a comunidade da paróquia São José Castíssimo Esposo da Virgem Maria, de Antonio Olinto, viveu um momento histórico e celebrativo para todos os fiéis católicos com a ‘Consagração’ da sua quarta igreja matriz, concluída em 2018.

Fieis minutos antes do início da celebração, aguardando o primeiro rito da Bênção da chave e abertura da igreja.

 

A nova igreja, mais ampla, que levou seis anos para ser construída teve o início de sua idealização em 2010, quando no mês de setembro daquele ano, por consenso da maioria da comunidade, foi interditada a igreja anterior, por motivos estruturais, vindo a ser demolida no ano de 2012. Em uma missa de sábado, no salão, colocamos para a comunidade a situação da igreja, que nenhum engenheiro aceitava assinar a reforma. Colocamos então em votação quem era contra demolir a igreja e quem era a favor. Teve três pessoas que levantaram a mão optando por não demolir a igreja, e os demais optaram pela demolição”, explica Darci Bianchessi, um dos membros da comissão de construção.

Darci:

Emocionado em poder participar da ‘Consagração’ da nova igreja, lembrando de todos os desafios que passou, Darci conta do quanto teve que ser firme, mesmo respeitado opiniões contrárias e valorizando a história da igreja anterior que existia desde 1958. “Não tem presente maior na vida. Era um sonho poder ajudar do início ao fim. É um dever cumprido dentro da comunidade. A casa de Deus é assim, não podemos continuar na mesma história. A igreja era bonita, maravilhosa, mas precisávamos de um espaço maior, pois a igreja não estava mais em condições de reforma e comportando a comunidade”, diz Darci, com a voz embargada pela emoção, ao relatar como buscava convencer aos que não queriam a demolição.

Darci:

 

No microfone Darci Bianchessi, e ao seu lado, de jaleco, Sonia Trein. Duas lideranças e membros da Comissão de Construção, que junto com outros leigos e leigas coordenaram a construção da nova matriz.

 

Outra colaboradora na edificação da nova matriz foi Sonia Trein Cordeiro. Valorizando todo o apoio da comunidade que se empenhou nas festas, promoções e doações, Sonia relata que a rapidez da construção foi algo admirável. “Não tínhamos nada em dinheiro. Começamos a pedir doações e o povo foi muito generoso. Com uma das festas arrecadamos quase oitenta mil e fizemos a estrutura da igreja em pré-moldado. Muitos falavam que levaríamos dez anos para construir a igreja, mas em três anos já estávamos rezando dentro dela”, conta ela admirada.

Sonia:

Acreditando muito na intercessão de São José, padroeiro da paróquia, Sonia comenta que ao final de todas as missas era feita a oração de São José. “Falei ao padre Antonio: Vamos trazer o São José em todas as missas e fazer a oração dele, na intenção de que ele nos ajude a construir a igreja. Nossa igreja antiga tinha 72 metros quadrados, hoje ela tem 660 metros quadrados. É gratificante”, testemunha a fiel.

Sonia:

Há treze anos como pároco em Antonio Olinto, padre Antonio Carlos Rodrigues, que tomará posse de sua nova paróquia em 2020, em Bituruna, testemunha que não viu o desafio da construção de uma igreja como um privilégio, mas como uma missão confiada por Deus a ele. “Mais do que conquista significa misericórdia de Deus. Não me sinto privilegiado, mas alcançado pela bondade de Deus que quis contar comigo. Foi um trabalho que eu achava que estava acima de minhas forças e possibilidades, e foi se tornando fácil. Isso tudo se deve a Graça de Deus”, credita o padre.

Ao final da celebração, diante de toda a comunidade, Dom Walter Jorge, junto com o padre Antonio Carlos, pároco, realizaram o cerramento da placa inaugurativa da nova igreja.

 

Padre Antonio:

Padre Antonio que atuou também em uma paróquia de União da Vitória, com grandes desafios antes de chegar a Antonio Olinto, diz que todos os esforços em sua caminhada como padre o tornam sempre mais preparado. “Quando vim do bairro Limeira eu aprendi muito com aquele povo, e isso me ajudou aqui. Estou indo agora para Bituruna em janeiro e vou levar esse aprendizado adquirido e os desafios que enfrentamos juntos com o povo de Antonio Olinto”, relata padre Antonio.

Padre Antonio:

Um dos momentos do Rito, o bispo diocesano unge a mesa do altar com o Óleo, expressando a consagração da Mesa que em toda celebração se faz o Sacrifício de Cristo, na Eucaristia.

Contando com a presença expressiva da comunidade e de diversos padres da Diocese, a missa de ‘Consagração’ da nova matriz São José foi presidida por Dom Walter Jorge, bispo diocesano, às 19h.

O Rito de ‘Dedicação’ da igreja se deu com: a Bênção da chave e abertura da igreja pelo pároco; a Aspersão da igreja com a água benta; a unção das quatro cruzes, simbolizando os quatro evangelistas, afixadas nas paredes da igreja; a unção da mesa do altar; a incensação da igreja; e, a iluminação.

3ª Igreja Matriz São José, de 1958-2012. No ano de 2012 deu-se sua demolição para a construção da atual matriz.

Após o louvor a Deus pelo momento de Graça, com a Santa Missa, não poderia faltar ainda uma confraternização no salão da matriz, onde toda a comunidade presente degustou de salgadinhos e refrigerantes doados por voluntários da paróquia. Entre as conversas se ouvia com entusiasmo o sonho da comunidade em agora se dedicar na construção ou ampliação de seu salão paroquial.

Com a transferência do padre Antonio Carlos para Birutuna, em 2020 quem assume a paróquia São José é o padre Emerson Gonçalves de Toledo, que até então vinha atuando como vigário paroquial na paróquia São Mateus, em São Mateus do Sul.

Texto e Fotos: Marcelo S. de Lara
Setor de Comunicação
Diocese de União da Vitória

 

 

MAIS FOTOS

 

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.