Igreja Católica Apostólica Romana

Professores do IFTESAM comentam sobre a reunião

"O padre precisa ser uma pessoa capaz de dialogar, de discutir, de ter fundamentos em torno daquilo que fala".

Na tarde de terça-feira, 04 de fevereiro, professores do Instituto de Filosofia e Teologia Santo Aberto Magno, do Seminário Diocesano Rainha das Missões, de União da Vitória realizaram na Cúria Diocesana, a primeira reunião anual para tratar de assuntos relativos ao ano acadêmico dos seminaristas.

Professores na sala de reuniões da Cúria Diocesana, em União da Vitória. Ao lado do bispo, de camisa branca, padre Mário, Diretor do Instituto. Ao lado direito do bispo, padre Evaldo, Reitor do Seminário.

 

Além da presença de Dom Walter Jorge, bispo diocesano, do padre Mário Glaab, diretor do Instituto, e do padre Evaldo Karpinski, reitor do Seminário, outros padres da diocese que lecionam no Seminário e leigos docentes de Ponta Grossa e de São José dos Pinhais, também estiveram na reunião.

Além da organização dos horários de aulas e intervalos e o uso do celular em sala de aula, a exigência de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) para o curso de Filosofia foi também pauta na reunião. “Além de refletirmos sobre a responsabilidade que os professores têm na formação dos futuros sacerdotes, achamos por bem que os alunos desliguem o celular em sala de aula. Vimos que é necessário aos que concluem o curso de filosofia que apresentem um trabalho de conclusão orientado por algum professor para assim fazerem uma pesquisa mais científica”, comentou o padre, diretor do Instituto.

Padre Mário:

O Seminário que conta com aulas lecionadas por padres da Diocese, também recebe a contribuição de leigos professores vindos de outras cidades. Para o padre Mário a atividade deles enriquece a formação, pois eles também são considerados formadores na caminhada dos futuros sacerdotes. “Isso enriquece muito, pois mostra que o trabalho de formação dos futuros padres não é restrito somente aos padres de nossa Diocese. Todos os professores devem ser considerados como formadores”, declarou ele.

Padre Mário:

Professor na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Carlos Willians Jaques Morais é um dos leigos que há anos leciona no Curso de Filosofia no Seminário. Segundo ele, o magistério das aulas em Seminários tem ótica diferente do ensino oferecido nas Universidades laicas. “Lá nós temos uma referência de um conhecimento mais instrumental, de formação para o mercado de trabalho. Aqui ela é permeada de princípios e valores que vão ao encontro de um ‘chamado’. E ter o bispo junto à reunião nos responsabiliza ainda mais com a missão da Igreja de formar presbíteros santos, piedosos, mas também inteligentes e capazes”, explica o professor.

Prof. Carlos Willians

Professor Carlos ainda destacou a importância no investimento acadêmico dos futuros padres diante de uma sociedade que relega a fé ao campo subjetivo, individual. “Cada vez mais você tem uma sociedade secularizada. O padre precisa ser uma pessoa capaz de dialogar, de discutir, de ter fundamentos em torno daquilo que fala. Um discurso pautado no senso comum não convence hoje. Mas um discurso bem fundamentado, com argumentação sólida e o testemunho da fé é o que faz ele ter não somente o exercício da sua missão, mas a legitimidade para ela”, enfatiza o professor.

Ao centro da foto, Carlos Willians, professor na UEPG, em Ponta Grossa, e também docente no IFTESAM, no Seminário Diocesano.

 

Prof. Carlos Willians

O Seminário Diocesano teve suas atividades acadêmicas iniciadas no dia 05 de fevereiro. A aula Inaugural do Instituto acontece dia 20 de fevereiro, na igreja do Seminário, em União da Vitória, às 20h, com o tema: ‘O Sínodo da Amazônia: O que foi ? e o que será?’, ministrada pelo padre Antônio José de Almeida, doutor em Teologia. O assunto abordará uma visão da caminhada evangelizadora da Igreja na Amazônia e na América Latina.

Setor de Comunicação
Diocese de União da Vitória

IMAGENS – REUNIÃO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.