Igreja Católica Apostólica Romana

Sagrado Coração de Jesus – Fundamentos e Devoção

ARTIGO.

Nesta semana, sexta-feira, 19 de junho, a Igreja celebra a Festa do Sagrado Coração de Jesus, uma devoção que ganhou grande impulso no século 15, mas que traz seus fundamentos nos textos da Sagrada Escritura.

A Diocese de União da Vitória, tem uma grande relação com o Sagrado Coração de Jesus, desde 1917, quando a igreja, hoje Catedral de União da Vitória, recebeu sua pedra fundamental e foi dedicada ao Sagrado Coração. (Conheça melhor a história clicando AQUI).

Altar Mor da Igreja Catedral, em União da Vitória, com a imagem do Sagrado Coração de Jesus, e o vitral com a pintura do padroeiro.

 

Para melhor entender como cresceu esta devoção na tradição da Igreja Católica trazemos em seguida os Fundamentos Bíblicos e a História da personagem que propagou tal devoção.

Fundamentação Bíblica

A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é muito antiga. Os Padres da Igreja já falavam dela. Sua Devoção é evocada em dois episódios do Evangelho:

No gesto de São João, discípulo de Jesus, retratado em pinturas da Santa Ceia, que mostra o discípulo encostando a cabeça no peito de Jesus, baseando-se no texto de (João 13,23).

Pintura retratando o Apóstolo João inclinado no peito de Jesus. )Imagem Divulgação).

 

O momento em que o soldado abre com a lança o lado de Jesus (João 19,34).

 “Um dos soldados perfurou o lado de Jesus com uma lança, e imediatamente brotou sangue e água. Aquele que a isso presenciou, disso deu seu testemunho; e o seu depoimento é verdadeiro. Pois ele está consciente de que está relatando a verdade para que também vós creiais” (João 19, 34-35).

Momento em que o soldado perfura o lado de Jesus com uma lança, após sua morte na cruz. (imagem divulgação).

 

No primeiro acontecimento, temos o consolo de Jesus às vésperas da sua morte. No outro, o sofrimento causado pelos pecados da humanidade.

Propagação da Devoção

Esta devoção ganhou novo impulso após as visões de Santa Margarida Maria Alacoque (1647-1690), difundidas por seu confessor São Claude de la Colombière (1673-1675). Nesta época havia uma heresia chamada Jansenismo, que pregava um cristianismo triste, onde poucos se salvavam, onde se disseminava um medo de receber Jesus eucarístico. Para eliminar essa tristeza Jesus mostrou seu Coração humano e misericordioso a Santa Margarida, como tábua de salvação para todos os pecadores que nele confiassem.

Quem foi Santa Margarida Maria?
Pintura que retrata Santa Margaria Maria Alacoque, em sua visão de Jesus. (Imagem Divulgação).

Santa Margarida Maria Alacoque foi uma freira que nunca transpôs os muros do seu convento das visitandinas de Paray-le-Monial da Ordem da Visitação de Santa Maria, instituição religiosa fundada por São Francisco de Sales (1567-1622) e Santa Joana de Chantal (1572-1641).

Recolhida, em profunda oração, pela porta do tabernáculo saiu uma espécie de vapor que foi se transformando na figura de homem que se encaminhou até ela e ali na sua presença abriu a túnica que lhe cobria o peito, lhe mostrando o coração em chamas inextinguível e lhe disse:

“Eis aqui o coração que tanto amou os homens e pelos quais é tão mal correspondido. Pelo menos tu, filha minha, chora pelos que me ofendem, geme pelos que não querem orar, imola-te pelos que renegam e blasfemam contra o meu santo nome. Prometo-te na grandeza do meu amor que abençoarei os lares que neles me hospedem, que os que comungarem durante nove primeiras sextas-feiras seguidas, não morrerão sem receber os sacramentos da penitência e da Eucaristia”.

As 12 promessas do Sagrado Coração de Jesus

Em sua aparição a Santa Margarida Maria Alacoque, Jesus fez 12 promessas do Seu Sagrado Coração.

1ª Promessa: “A minha bênção permanecerá sobre as casas em que se achar exposta e venerada a imagem de Meu Sagrado Coração”;

2ª Promessa: “Eu darei aos devotos do Meu Coração todas as graças necessárias ao seu estado”;

3ª Promessa: “Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias”;

4ª Promessa: “Eu os consolarei em todas as suas aflições”;

5ª Promessa: “Serei refúgio seguro na sua vida e, principalmente, na hora da sua morte”;

6ª Promessa: “Lançarei bênçãos abundantes sobre os seus trabalhos e empreendimentos”;

7ª Promessa: “Os pecadores encontrarão, no meu Coração, fonte inesgotável de misericórdia”;

8ª Promessa: “As almas tíbias se tornarão fervorosas pela prática dessa devoção”;

9ª Promessa: “As almas fervorosas subirão, em pouco tempo, a uma alta perfeição”;

10ª Promessa: “Darei aos sacerdotes que praticarem especialmente essa devoção o poder de tocar os corações mais endurecidos”;

11ª Promessa: “As pessoas que propagarem esta devoção terão o seu nome inscrito para sempre no Meu Coração”;

12ª Promessa: “A todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, Eu darei a graça da perseverança final e da salvação eterna”.

Fita usada no pescoço, por membros do Movimento do Apostolado da Oração.
O Movimento do Apostolado da Oração

As 12 promessas são um resumo do pensamento de Santa Margarida feito por um sacerdote. Dela gerou a tradição da devoção sempre na 1ª Sexta-feira de cada mês, com a adoração e bênção do Santíssimo, a confissão e comunhão. Tais práticas são vividas e divulgadas hoje também pelo Movimento do Apostolado da Oração, grupo de pessoas que se consagram ao Sagrado Coração de Jesus, realizando devoções e encontros durante todo o ano.

Oração ao Sagrado Coração de Jesus

Oh! Deus, que no Coração de vosso Filho, ferido por nossos pecados, vos dignais prodigalizar-nos os infinitos tesouros do amo. Nós vos rogamos que, rendendo-lhe nossa devoção e piedade, também cumpramos dignamente para com ele o dever de reparação. Pelo mesmo Cristo Senhor nosso. Amém.

Jesus manso e humilde de coração – Fazei o nosso coração semelhante ao vosso!
Sagrado Coração de Jesus, em Vós eu confio!

Contribuição: Diego Ronaldo Nakalski
Seminarista Diocesano

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.