Igreja Católica Apostólica Romana

Paróquia e Santuário Diocesano Nossa Senhora do Rosário

SETOR
São Mateus

Fundação:
16/12/1896

Secretária:
Juliana

Expediente:
Segunda a sábado: 8h às 11h30

Dia da Padroeira:
7 de outubro

TELEFONE
(42) 3516 1175

E-mail:
par.rosario@dioceseunivitoria.org.br

Endereço:
Rua XV de Novembro, 276
84577-000 – RIO CLARO DO SUL – MALLET – PR

Missas:

Pe. Anderson

Pároco: Pe. Anderson Spegiorin

SACRAMENTOS

Curso de Pais e Padrinhos, Batizados, Primeira Eucaristia, Crismas: Consultar a paróquia

Histórico

A partir de 1855, pela iniciativa de Zacarias de Góes de Vasconcelos (1815-1877), político brasileiro do Império e representante do Partido Liberal, o Estado do Paraná foi colocado rumo à colonização estrangeira.

Foi baixada a lei número 29, de 21 de março de 1855 que determinava a promoção da imigração de estrangeiros para a província do Paraná, principalmente de colonos.

Em 1884 saiu de Campo Largo uma caravana de 15 famílias de agricultores, e que, passando por Palmeira, penetrou no território até agora intacto. Depois de dois meses, esses agricultores atingiram a região localizada à margem esquerda de um rio, onde fundaram um pequeno povoado, com moradias provisórias e dando-lhe o nome de Rio Claro, em virtude da limpidez das águas do rio.  São conhecidos somente três chefes das famílias: Frederico Carlos Franco de Souza, João Teixeira de Lima e Antônio Rodrigues de Lima.

A primeira leva dos emigrantes poloneses fixou-se na região a partir de 1890 e alguns anos mais tarde chegaram colonos europeus ucranianos.

Em 1891 foi criada legalmente a Colônia de Rio Claro do Sul, às margens do Rio Iguaçu, constituída por 1371 lotes dos quais formavam a sede da colônia, sendo distribuídos pó nove linhas principais e 18 vicinais.

Graças ao progresso da região e a índole católica dos povoadores, foi erigida uma capela em louvor a Nossa Senhora do Rosário.

Em 1892, criou-se o distrito de Rio Claro do Sul, cujo território pertencia então ao município de São João do Triunfo.

Por meio da carta circular do dia 26 de novembro de 1895, o bispo da nova diocese de Curitiba, Dom José de Camargo Barros, criou uma Capelania Eclesiástica provisória com sede principal na Colônia São Mateus, onde residia o capelão principal e podendo ter capelães nas colônias pelo bispo determinados, isto é, “Rio Claro, Água Branca e Palmyra”, (L. T. I. p. 34). Os capelães deveram ser aprovados para estas residências e com jurisdição delegada pelo Capelão Cura principal.

A assistência espiritual já existia antes da criação da Capelania. Segundo os arquivos, já no ano de 1892 atuava neste território, Pe. Ludovico Przytarski, padre polonês do clero diocesano, que ali administrou alguns batizados. Começou a residir em Rio Claro como capelão desde 1896 e trabalhou até 1907. A obra principal dele era a construção da Igreja dedicada a Nossa Senhora do Rosário, com uma torre de 50 metros de altura, toda em madeira. Era tão imponente e fascinante que o povo chamava “Czestochowa paranaense”.

Em 1907 a Capelania de Claro foi assumida pelo padre Silvestre Kandora, da Congregação da Missão (padres vicentinos), cujos padres trabalharam até maios de 1968.

Em abril de 1949 a sede da paróquia foi transferida para Mallet, que desde 15 abril de 1912, era sede do município desmembrado de São Mateus do Sul. DFia 21 de setembro de 1912, com a instalação oficial, foram criados dois distritos deste município: os de Rio Claro do Sul e Dorizon.

Foi criada a paróquia de São Pedro, em Mallet e Rio Claro tounou-se parte dela. Em agosto de 1951 foi devolvido à Igreja de Rio Claro o Título de Igreja Matriz.

Em 1951, iniciou-se a construção da nova igreja paroquial, que terminou no dia 25 de maio de 1953 com a bênção solene da comunidade.

Com a saída dos padres vicentinos em maio de 1968, a partir de junho do mesmo ano, a paróquia foi atendida pelos padres da Sociedade de Cristo para os Emigrantes Poloneses, da paróquia São Pedro, de Mallet.

Em janeiro de 1970, Pe Zygmunt zwajkiewicz, SChr, pároco de Mallet, muda-se para Rio Claro do Sul, assumindo a paróquia como pároco.

Hoje a paróquia de Rio Claro faz parte da Diocese de União da Vitória que foi criada em 3 de dezembro de 1976, pela Bula “Qui Divino”, do Papa Paulo VI, desmembrada da arquidiocese de Curitiba e das dioceses de Guarapuava e Ponta Grossa.

Em 17 de março de 1997 a Igreja Paroquial de Nossa Senhora do Rosário foi eregida canonicamente em Santuário Mariano Diocesano.

A primeira Romaria Diocesana ao Santuário Mariano aconteceu no dia 19 de outubro de 1997. Foi um marco histórico para a paróquia e a Diocese. Neste evento estiveram presentes mais de quatro mil pessoas.

Dia 16 de maio de 1999 aconteceu a primeira Romaria Vocacional da Diocese. A partir deste ano o Santuário recebe duas romarias diocesanas e várias pequenas romarias de várias paróquias e movimentos que atuam na diocese.

Um capítulo a parte na história da comunidade paroquial de Rio Claro é a história da Gruta de Nossa Senhora de Lourdes.

Tudo começou no tempo do padre Estanislau Piasecki. Na época de bastante seca, o padre encontrou uma vertente próxima da igreja e resolveu então construir no local uma gruta com a ajuda de toda a comunidade. A inauguração da gruta aconteceu no dia 13 de maio de 1940. Neste dia os fiéis saíram da Igreja Matriz em procissão à Gruta, onde Pe. Bronislau Koslowski celebrou a missa. Participaram desse evento: Pe. Estanislau Piasecki, Pe. Ignácio Zabrzeski – Pároco de Rio Claro, Pe. Porzycki, de São Mateus e Pe. Pinocy – Vigário de Mafra. Após a missa e bênção, acompanhados pela banda local, houve uma festa e o lucro foi destinado para pagamento das despesas da construção da gruta e para a Cruz Vermelha.

Atualmente a Gruta de Nossa Senhora serve como lugar de visitação, oração, agradecimentos e também de reflexão, pois o contato com a natureza oferece muita paz e harmonia.

Rio Claro foi também abençoado pelo trabalho das irmãs religiosas. Primeiro as irmãs de Caridade de São Vicente. Não há fontes que poderiam indicar o ano da chegada das irmãs a Rio Claro. Elas começaram a trabalhar como professoras no Colégio Santa Clara e também organizavam diversos cursos, como de costura, tricô, crochê, pintura,, culinária, entre outros. Trabalharam também no hospital.

Na década de 20 aproximadamente, houve a mudança do Colégio Santa Clara para perto da igreja, onde hoje está o colégio (desativado) que atende às reuniões pastorais e catequese.

O colégio foi usado como escola até 15 de novembro de 1959, quando foi bento o grupo escolar de Rio Claro do Sul, que até hoje serve como escola.

O Colégio onde era o Instituto Santa Clara passou a ser apenas moradia das irmãs. No dia 14 de janeiro de 1966, as irmãs da caridade de São Vicente deixam o Colégio e mais tarde vendem o lote para a construção da Igreja Nossa Senhora do Rosário, em 17 de outubro de 1975.

O colégio fora ocupado pelas irmãs Mensageiras do Amor Divino, que além de cuidarem da Igreja, promoviam cursos. No dia 21 de março de 1983, a Madre Superiora pediu a transferência das Irmãs, o que aconteceu no dia 4 de setembro de 1983.

 

Notícias da Paróquia