Igreja Católica Apostólica Romana

Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

SETOR
São Mateus

Fundação:
17/08/1988

Secretária:
Zenilda

Expediente:
Segunda a sexta-feira: 8h às 11h30

Dia do Padroeiro:
27 de junho

TELEFONE
(42) 3532 2376

E-mail:
par.socorro@dioceseunivitoria.org.br

Endereço:
Rua Ozy Mendonça Lima, 1445
83900-000 – SÃO MATEUS DO SUL – PR

Missas:
Segunda e terça-feira: 19h
Quarta-feira: 15h e 19h
Quinta-feira: 19h
Primeira sexta-feira do mês: 19h
Sábado: 19h
Domingo: 8h30

Pe. Sidnei

Pároco: Pe. Sidnei José Reitz

Pe. João Francisco

Vigário Paroquial: Pe. João Francisco Sieklicki

SACRAMENTOS

Curso de Pais e Padrinhos: Todo segundo sábado do mês (exceto janeiro).

Batizados: Todo terceiro sábado do mês (exceto janeiro).

Primeira Eucaristia e Crismas: Consulte a paróquia.

Histórico

A paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro foi criada no dia 21 de agosto do ano de 1988, na missa realizada na então Capela da Vila São Pedro, mais conhecida como Vila Prohmann, ás 18 horas; de fato, a missa foi celebrada em cima da carroceria de um caminhão no pátio da paróquia.

Durante uma reunião da Comissão da Igreja, realizada na Escola da Vila Prohmann, em fevereiro de 1977, tendo como seu primeiro presidente o Senhor Moacyr de Paula e Silva (in memoriam) foi assunto dessa reunião a aquisição de um terreno com uma área de 2.500 metros quadrado, generosamente doado pelo Senhor Pedro Ignaszewski (in memoriam). Em junho do mesmo ano, 1977, foi realizada a primeira festa na escola da Vila Prohmann para angariar fundos para a construção de um pavilhão comprido, o qual foi posteriormente utilizado também como capela, até o ano de 1993 quando da inauguração da atual Igreja Matriz. 

Já no ano de 1983, no dia 09 de Março, na reunião da Diretoria Comunitária da Capela foi proposta a construção de uma igreja. Na reunião de junho de 1984, decidiu-se que alguns membros da Diretoria iriam até a Diocese de Ponta Grossa para ver alguns modelos de construção de igreja e também em Curitiba. Também o Engenheiro Roberto José Sebben apresentou alguns modelos. Já no ano 1985, foram apresentados 05 modelos de construção, sendo escolhido um, tendo as dimensões de 18 metros de largura por 30 de comprimento.  Na reunião de 19 de outubro de 1987, tendo a presença do bispo diocesano Dom Walter Michael Ebejer, OP, foi levantada a questão da vinda de padres da Congregação da Sagrada Família, e o bispo prometeu que até Julho de 1988 haveria um padre residente nesta futura paróquia. Para isso a Diretoria adaptou a casa do zelador, no pavilhão de festas, para servir de moradia e de secretaria paroquial. Desde o início já se usava o nome “Santuário de Nossa Senhora do Perpetuo Socorro”.

Nasce uma nova paróquia

No dia 17 de Junho de 1991, 03 anos depois da instalação da paróquia, começaram os trabalhos da construção da futura igreja Matriz; essa igreja foi construída com a total generosidade da mão de obra do Senhor José Gelinski, e com o grande apoio da comunidade paroquial fazendo suas doações. A missa de inauguração da nova Igreja Matriz foi rezada no dia 30 de Maio de 1993. Hoje estamos dando continuidade com algumas reformas e ampliações a nova matriz para dar-lhe um melhor visual, e assim ela pode se tornar mais um cartão de visita de nossa cidade de São Mateus do Sul.

Conforme consta no decreto de criação da paróquia “…o crescimento populacional e a expansão da cidade de São Mateus do Sul, bem como o elevado número de comunidades de fieis espalhadas pelo interior do município vem onerar consideravelmente o trabalho pastoral dos padres da Congregação da Missão ( Vicentinos) que atendem aquela paróquia…”,  pertencendo a essa nova paróquia 19 comunidades com as capelas: Espigãozinho, Água Branca, Emboque, Vila Nepomuceno, Paiol Grande, Papuã, Dois Irmãos, Caitá, Faxinal dos Ilhéus, Rio das Pedras A e Rio das Pedras B, Turvo Barracas, Turvo de Baixo, Estiva dos Vidal, Estiva, Taquaral do Bugre, Tijuco Preto, Faxinal dos Elias, e a Escola Fazenda Maria Clara.

Os párocos e vigários

O primeiro padre, com a função de pároco, a trabalhar nesta nova paróquia foi o padre Antonio Kolodzieiski, do clero Secular, ou diocesano. Ele foi ordenado padre dia 08 de Julho de 1984, e ficou nesta paróquia do dia 21 de agosto de 1988 até o dia 25 de Setembro de 1991.

Logo que chegou o padre Antonio começou organizando o que já existia e incentivando de modo especial os jovens e a catequese,sendo auxiliado pela Irmã Lucila, religiosa da Congregação da Missão, Vicentina. A irmã Lucila auxiliou muito na paróquia com encontros de formação de catequese, seja na matriz, seja nas visitas às comunidades, com incentivo à catequese e à liturgia, às reuniões do Conselho de Pastoral, á Comissão de Administração e Finanças; também ela organizou a paróquia em setores para um melhor atendimento nas comunidades.            

Em 1991, no mês de fevereiro tiveram inicio as missões populares Saletinas, com a presença de doze padres e leigos. Eles iniciaram as missões no dia 26 de Fevereiro e terminaram no dia 24 de março de 1991.

No dia 28 de Setembro de 1991 veio o padre Jose Chipanski, Vigário Geral da Diocese,  e permanece ate hoje, como administrador paroquial, tendo saído por dois anos, no dia 01 de março de 2001 para a Paróquia de São Miguel Arcanjo, em Porto Vitória, e retornando a esta paróquia, em 17 de Janeiro de 2003.

Os trabalhos se multiplicam

Logo de início, se percebeu a intensidade de trabalho e a dedicação do padre José, principalmente a sua grande preocupação com a formação das lideranças, seja nesta paróquia, seja auxiliando nas paróquias próximas, como Rio Claro do Sul, Antonio Olinto, São João do Triunfo, com encontros de formação para equipes litúrgicas, Apostolado da Oração e outros… incentivando as vocações sacerdotais, com o convite para os coroinhas ajudarem nas celebrações. Ele levava os coroinhas para conhecer mosteiros e seminários; organizava jogos de futebol entre os coroinhas das comunidades, incentivando a formação dos grupos de reflexão, Grupos de Jovens, benção de famílias e suas casas…. Também organizou as visitas das imagens de Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora Czestochowa. Também há o incentivo e formação para os fiéis em geral, com programas diários na Rádio Local, Difusora do Xisto, AM, e Cultura Sul, FM: ao meio dia e às 18 horas com a Oração do Ângelus, e aos domingos com a transmissão da missa, alternando com a outra paróquia São Mateus.  Atualmente existem na paróquia: o movimento Serra Vocacional, a Renovação Carismática Católica, a Legião de Maria, o Apostolado da Oração, 70 ministros Meces, a Pastoral da Criança, a equipe de Pastoral Familiar, equipes de celebração litúrgica; equipes missionárias da pastoral do dizimo. A paróquia tem 1010 dizimistas na matriz e 560 dizimistas nas capelas; 80 Grupos de Reflexão Permanentes; a equipe de coordenação paroquial de catequese. De fato, a paróquia possui 201 catequistas, tendo em 2005, 293 catequizandos da 01 Eucaristia; foram também crismadas 237 pessoas em 2005. Há um elevado número de zeladoras de capelinhas vocacionais; temos um Informativo Paroquial, com tiragem de 3.000 exemplares.

Foi incentivada a melhoria das construções materiais das capelas; aliás, hoje, todas muito bem cuidadas e construídas em alvenaria; exceto a comunidade do Emboque, considerada como relíquia, e a comunidade histórica da Água Branca, com a Igreja Polonesa de madeira, pertencente à Associação São José, que administra a área onde está a capela São José da Água Branca: um monumento histórico! Aliás, ela merece uma visita. 

Chegada de outros padres

No dia 08 de maio de 1996 veio ajudar ao padre José o Pe. Jasinto César Tarachuk, do clero diocesano. No dia primeiro de Março de 2001 tomou posse como vigário paroquial o Padre Osmar Abel Rosa e como administrador paroquial o Pe. Mario Fernando Glaab, os dois padres do clero diocesano. O padre Osmar já havia trabalhado nesta paróquia como diácono. Ele ficou nesta paróquia até o dia 20 de março de 2003. Os padres. Osmar e Mário continuaram com os trabalhos que já estavam sendo realizados e incentivaram outros trabalhos.  No dia 04 de Dezembro de 2001, veio trabalhar nesta paróquia o Pe. Jairo Minosso, do clero secular, atualmente pároco em São João do Triunfo. Ainda tivemos a presença do Padre James Kurian, do clero diocesano, do Estado de Kérala, na Ìndia. O padre James permaneceu conosco de maio de 2002 até agosto de 2003.

Petrobrás indeniza

No ano de 2001 começaram as indenizações por parte da Petrobrás das famílias que pertencem á comunidade de Rio das Pedras A, sendo as famílias obrigadas a sair de seu torrão natal e se dispersa pelas comunidades próximas; mas muitas famílias vieram para a cidade de São Mateus do Sul. Essa comunidade era composta de aproximadamente 60 famílias.

Mais outras construções

Entre os trabalhos de melhorias nas construções é bom que se diga que a Capela de Rio das Pedras B teve sua primeira missa na nova capela em 27 de Julho de 1994; a comunidade de Monjolos começou a construção de sua capela em 10 de Agosto de 1998; a capela de Turvo de Baixo em 10 de Agosto de 2000; e ainda foram construídas as capelas da Vila Bom Jesus e da Comunidade Fazendinha. Estão planejadas mais duas capelas: uma na Vila Pinheirinho no perímetro urbano, e outra na Colônia Taquaral, próxima ao perímetro urbano.  

A atual casa paroquial começou a ser planejada em 23 de Fevereiro de 2000; e após muitas reuniões e discussões, em 16 de Outubro de 2000 foi iniciada uma construção. Três anos depois, no dia 22 de janeiro de 2003, a nova casa paroquial foi inaugurada oficialmente.

Novos diáconos permanentes

Em 05 de Agosto de 1998 tivemos a ordenação diaconal do Senhor Luis Huk e no dia 20 de Outubro de 2001 a ordenação diaconal do Senhor Acir Ferreira de Jesus. Nosso bispo diocesano afirmou na ocasião: “os diáconos são aqueles que melhor mostram a índole da Igreja como ”Igreja Ministerial, Igreja do serviço”.

Uma eventual terceira paróquia

Essa idéia da formação de uma terceira paróquia começou no ano 1999 e no mês de Outubro de 2001 foi feito o lançamento da Pedra Fundamental, mas por falta de recursos financeiros, visto que a comunidade de Vila Nepomuceno conta com aproximadamente 160 famílias, a obra esteve parada por quase dois anos. A construção estava começada com a colocação de uma parte do piso, quase metade da parte térrea, equivalendo a uns 100 metros quadrados; pois embaixo da construção da Igreja foram planejadas 05 salas e 02 banheiros. Ate que surgiu, pela Providencia Divina, uma família na pessoa de Maria Josefa Gimny Ivanike, uma insigne  benfeitora que se dispôs a ajudar na construção, pagando as despesas com o material e mão de obra, algo equivalente superior a R$ 200.000,00 ( Duzentos Mil Reais). Tendo essa ajuda, no mês de Fevereiro de 2005, começaram os trabalhos com toda a intensidade, até que a bonita, espaçosa e moderna Igreja de Nossa Senhora Aparecida e de Czestochowa ser benta e inaugurada solenemente pelo bispo Diocesano, Dom Walter Michael Ebejer, no dia 02 de abril de 2006.

Rogamos a nossa Senhora do Perpetuo Socorro que nos ampare e proteja durante a nossa caminhada pela história para Deus!

           

Notícias da Paróquia