Igreja Católica Apostólica Romana

Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Rio Azul)

SETOR
Rio Azul

Fundação:
22/12/1932

Congregação do Verbo Divino

Secretária:
Rita

Expediente:
Terça a sexta-feira: 8h às 11h30 e 13h30 às 17h30.
Sábado: 8h às 11h.

Dia do Padroeiro:
8 de junho – Dia do Sagrado Coração de Jesus 2018.

TELEFONE
(42) 3463 1255

E-mail:
par.jesus@dioceseunivitoria.org.br

Endereço:
Praça Tiradentes. 272
Caixa Postal 09
84560-000 – RIO AZUL – PR

Missas:
Terça-feira a sábado: 19h
Domingo: 8h e 19h

Pe. Alexandre Nogueira

Pároco: Alexandre Antonio Nogueira

Pe. Dionisius

Vigário Paroquial: Pe. Dionisius Rangga

SACRAMENTOS

Batizados: Todo quarto domingo do mês.

Curso para noivos: março de 2018

Primeira Eucaristia: 24 de novembro (matriz), às 19h.

Crismas: 11 de novembro de 2018, às 9h.

Histórico

Quando nem se pensava ainda em Rio Azul, esta região já era habitada por pessoas de fé e religiosidade.

Pelos fatos a nós relatados, muito impressionam os feitos dos antepassados que por estes lugares deixaram suas marcas e exemplo de grandes devotos religiosos.

Rio Azul começou a ser atendido pelos padres Missionários do Verbo Divino em 1.900, congregação fundada pelo padre Arnaldo Jansen, na Holanda. O primeiro padre que atendeu o nosso município foi Pe. Nicolau Theobaldo Baur. Padres que vinham ora de Guarapuava, ora de Palmeira ou São João do Triunfo, faziam suas visitas de 03 em 03 meses, totalizando assim quatro vezes por ano a prestação de assistência religiosa.

A primeira capela foi construída por um pioneiro que doou parte de suas terras, bem no alto, ao lado da estrada que sai de Rio Azul para o município de Mallet em 1910. A pequena capela quando foi construída tinha o tamanho de 8,00 m de largura por 12,00 m de comprimento, totalmente feito de madeira e coberta com tábuas lascadas.

Do início do século XX até o dia 22 de dezembro de 1932, Rio Azul era atendido por padres que vinham de outras localidades. Pelas suas dificuldades podemos aquilatar seus sacrifícios e realmente suas visitas eram raras e irregulares; porém, esta situação foi reconhecida e por ato do Bispo Diocesano Dom Antonio Mazzarotto, nesta data o município tornou-se  independente.

Houve festas e orações por muitos anos na Capelinha; quando no ano de 1927 foi realizada a última festa tradicional nos Carneiros, por já estar construída a Igreja onde hoje se encontra o marco zero do município e o mastro das bandeiras na praça Tiradentes. A igreja também não era de tamanho muito grande e ficou por pouco tempo, pois o Pe. Pedro Haida logo em seguida construiu a terceira Igreja, iniciando sua construção em 1929; a qual foi concluída no ano de 1935.

A cidade crescia com a vinda de novos moradores e colonos em sua maioria poloneses e ucranianos. O tamanho da terceira Igreja era de 13 metros de frente por 33 metros de fundos e tinha o campanário separado da Igreja, construída em estilo gótico com condições de abrigar mais fiéis. Esta igreja foi pintada com cenas Bíblicas, ficando um verdadeiro templo ornado. Na torre, na parte externa foi pintado o Coração de Jesus com raios espargindo para todos os lados, com os seguintes dizeres: VENHA A NÓS O VOSSO REINO.

Esta igreja serviu por muitos anos ao povo de toda comunidade rio-azulense, mas chegou a época em que também começou a ficar pequena. O Pe. João Salanczyk, pároco da época, dá início em 1971 à construção da nova e atual Igreja Matriz de Rio Azul.

Por ocasião do Centenário do Apostolado da Oração no Brasil, o Município foi consagrado ao Sagrado Coração de Jesus. Em 23 de abril de 1971, por sugestão do prefeito municipal da época os vereadores apresentaram a câmara municipal um ante projeto de lei com o seguinte teor: “Os vereadores infra assinados, no uso de suas atribuições legais e considerando que a paróquia de Rio Azul já consagrada ao Sagrado Coração de Jesus, que o tem por padroeiro titular, considerando que a quase totalidade dos moradores são devotos do Sagrado Coração, considerando que numerosas famílias desta comunidade entronizam em seus lares a imagem do sagrado Coração, e têm, por hábito, anualmente, renovar a Consagração, considerando que a Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus, pertence à religião Católica Apostólica Romana, com a existência de outro templo com o nome de Igreja Santa Terezinha, do Rito Bizantino, ambas da mesma crença religiosa, únicas nesta cidade, não existindo outros templos semelhantes de outras seitas ou crenças; considerando que por ocasião do centenário da Fundação do Apostolado da Oração do Sagrado Coração de Jesus, de Rio Azul, no Brasil e no município de Rio Azul.

Considerando ainda que a cidade de Rio Azul nasceu, cresceu e se desenvolveu paralelamente à Igreja Matriz e que os poderes públicos legalmente constituídos, que fizeram brilhante e dinâmica administração, trazendo grande progresso e desenvolvimento ao Município com seus relevantes serviços, graças à inspiração e proteção do sagrado Coração de Jesus, que com seus poderes divinos permanentemente derrama copiosas bênçãos e graças sobre todo o território rio-azulense: Resolvemos: artigo único  Fica Consagrado ao Sagrado Coração de Jesus o Município de Rio Azul, estado do Paraná”.

Este anteprojeto de Lei tramitou na Câmara Municipal nas sessões realizadas nos dias 23 e 30 de abril e 07 de maio de 1971, recebendo em todas as sessões aprovação unânime de todos os vereadores.

Finalmente no dia 20 de junho de 1971, durante a celebração da Santa Missa, solenemente o prefeito Municipal sancionou a lei nº 07/71, consagrando oficialmente o Município de Rio Azul ao Sagrado Coração de Jesus.

Enquanto o senhor prefeito assinava a referida Lei, foi lida em voz alta pelo celebrante Pe. João Salanczyk, a fervorosa oração do ato de consagração do Município ao Sagrado Coração de Jesus.

No mesmo dia foi lançada a Pedra Fundamental da nova Matriz, obra do Pe. João Salanczyk, que por duas vezes foi pároco de Rio Azul, sendo a primeira vez de agosto de 1953 a janeiro de 1960, e a segunda vez de janeiro de 1966 a março de 1987. Foram 29 anos de serviços prestados a esta comunidade. Faleceu em dezembro de 1999.

O término da construção da nova Matriz aconteceu em fins de maio de 1978 e foi oficialmente inaugurada em 04 de junho do mesmo ano.

Os poderes públicos legalmente constituídos, em cerimônia cívico-religiosa realizada a 30 de março de 2003, data em que foi realizada a tradicional Festa das Capelinhas, a Congregação dos Missionários do Verbo Divino e das Irmãs Franciscanas da Sagrada Família foram agraciadas com placas comemorativas do centenário e setenta e cinco anos de presença evangelizadora em Rio Azul, respectivamente.

O povo rio-azulense, orante e extremamente zeloso, foi abençoado por Deus de tal forma que a cada padre que trabalhou na Paróquia, um novo padre, nascido em Rio Azul foi chamado às fileiras da messe, e a cada religiosa, de igual forma, Deus suscitou uma outra de Rio Azul para a Igreja. Assim, pois, já foram ordenados 27 padres, dos quais um é bispo e já são mais de sessenta religiosas provindas das famílias piedosas de nosso município.

A Paróquia de Rio Azul, como um todo, tem uma história interessante e bonita que para ser contada em tão poucas linhas não é possível. Seus paroquianos, por sua devoção, a cada novo dia, agraciados com o olhar divino e da Santa Mãe, escrevem uma nova página desta história, orgulhosos por terem contribuído de forma tão grandiosa para com a obra eclesial em todo seu âmbito.

Notícias da Paróquia