Igreja Católica Apostólica Romana

Paróquia Sant’ Ana

SETOR
Sagrada Família

Fundação:
25/01/1956

Secretária:
Juliane

Expediente:
Segunda a sexta-feira: 7h às 11h45 e 13h às 17h.

Dia do Padroeiro:
26 de julho

TELEFONE
(42) 3551 1134

E-mail:
par.santanacm@dioceseunivitoria.org.br

Endereço:
Praça da Matriz, 01
84623-000 – SANTANA – CRUZ MACHADO – PR

Missas:
Quarta-feira: 19h
Domingo: 8h30
Primeira sexta-feira do mês às 15h.

Pe. Antonio K

Pároco: Pe. Antonio Kolodzieiski

Pe. Nelson

Vigário Paroquial: Nelson José Kovalski

SACRAMENTOS

Batizados: Primeiro domingo do mês, na missa das 8h30

Curso de Pais e Padrinhos, Primeira Eucaristia e Crismas: Consulte a paróquia.

Histórico

A paróquia de Sant’Ana, que atualmente conta com 37 comunidades, mais a matriz localizada no Distrito de Santana no município de Cruz Machado, teve seu início mesclado com a história do Município de Cruz Machado. Sendo assim em 09 de novembro de 1910, foi criado pelo Governo Federal um Núcleo Colonial chamado hoje de Pátio Velho, no Distrito de Pinaré.

Com a chamada “febre brasileira”, quando muitos migrantes vinham para cá em busca de melhores condições de vida, aos 04 de julho de 1911, veio a primeira leva dos imigrantes poloneses; cerca de 2000 pessoas. Logo a falta de higiene e outros motivos, como o clima e a comida diferente levaram à epidemia do tifo que dizimou aproximadamente 800 pessoas. Juntamente com estes imigrantes estava o Padre Paulo Tomala, Verbita vindo de Guarapuava. No início do ano de 1912 Padres Verbitas, de Ponta Grossa, mandaram outro padre, Teodoro Drapiewski. No local chamada colônia Cruz Machado, atualmente denominada de “Rio do Banho” foi construída a primeira capela de madeira que existe até hoje. Em 1913, chegaram de Curitiba as Irmãs da Sagrada Família, convidadas pelo Cura Pe. Teodoro para lecionarem na escola desse Curato.

Já em 1914 foi inaugurada uma nova Igreja, a casa das irmãs e a escola na localidade de Santana. Em 1917 foi construída uma Sociedade Agrícola no lugar onde hoje se encontra a matriz Sagrado Coração de Jesus, na atual sede da cidade de Cruz Machado; a mesma serviu como escola e para celebrações de missa. Em 1927, no lugar dela foi construída uma capela de madeira. Até 1920 trabalhavam no Curato os padres Verbitas; mas a partir desta data até 1942, eram os Padres Vicentinos. Posteriormente atendiam a paróquia os Padres Diocesanos. Em 1934 foi criada a paróquia do Sagrado Coração de Jesus e os padres residiam uma vez em Cruz Machado, outra em Santana, pois foi somente em 04 de julho de 1964 que assumiram a paróquia em Santana os padres da Sociedade de Cristo, os quais trabalham aqui até hoje.

A partir de 1912 o Curato pertencia à Diocese de Curitiba; a partir do ano de 1925 à Diocese de Ponta Grossa, posteriormente passando para a Diocese de Guarapuava em 16/12/1965 e finalmente nos dias atuais (07/03/1977), fazendo parte da Diocese de União da Vitória.

Em 1974 foi desmanchada a Igreja Matriz de Santana, a qual era de madeira e construída em seu lugar outra de alvenaria, iniciada no ano de 1976 e inaugurada em 15 de outubro de 1978. Construiu-se a Casa de Formação, de madeira, para fins das pastorais com o material da antiga Igreja demolida, e em 1979 construída a casa paroquial. Foi também neste ano de 1976 que pela primeira vez em nossa paróquia foram pregadas as missões pelos Padres Vicentinos, quando foram organizados 136 “Grupos de Famílias” chamados posteriormente de “Grupos de Reflexão Permanentes”, os quais continuam até o dia de hoje. Também neste ano que foi organizado na “Casa de Formação” os primeiros Cursos de Catequese e Formação Humana e Cristã. Estes cursos eram dirigidos na parte feminina pelas Irmãs da Sagrada Família e os masculinos pelos Padres Vicentinos. Até 1986 passaram por estes cursos cerca de mil pessoas. No mesmo ano foram pregadas as “Missões” em toda a paróquia, para aprofundar a vida espiritual nas “Comunidades Eclesiais de Base” sendo que se repetiram em 1997.

Em 1986 foi construída a casa de material para as Irmãs da Sagrada Família, aos quais recomeçaram assim o trabalho das pastorais em Santana, e construídas duas capelas em alvenaria.

Já no ano de 1997 foi ordenado o Padre Lauro Kovalczyk, paroquiano desta.

Nos anos de 1990 dentro do programa Pastoral da Cultura foram construídos o Anfiteatro, as casas e o Museu Etnográfico, com a ajuda da Prefeitura Municipal, para preservar as raízes dos “Valores Cristãos, Tradição, Cultura e Costumes”, valorizando o trabalho e sacrifício dos colonos. Também foram organizadas as “Festas do Agricultor”, que continuam até hoje.

Para preservar a cultura, tradição e costumes de nossos antepassados poloneses, em 1992 foi organizado um conjunto folclórico polonês da BRASPOL (Comunidade Brasileira Polonesa) com 220 componentes, apresentando vários programas dos Eventos culturais durante as festas do Agricultor, tendo por finalidade resgatar o passado para não perder a memória histórica e descobrir as raízes dos valores cristãos, e para não esquecer sua própria identidade. Na frente da Matriz encontra-se um jardim das Capelinhas, símbolo das Comunidades Eclesiais de Base que formam uma grande “Família Paroquial”. Em 2002 pela quinta vez foram pregadas as missões pelos freis capuchinhos em todas as comunidades da paróquia. Os nossos leigos, cerca de 270 cursilhistas, reforçam estes trabalhos pastorais na paróquia.

A partir de novembro de 2000, Santana foi incluída dentro do roteiro de turismo do Brasil, organizado por uma empresa de turismo, e assim recebemos em Santana, três vezes por ano turistas da Polônia.

 

 

 

Notícias da Paróquia