Igreja Católica Apostólica Romana

Dom Walter Jorge fala de sua experiência pela 1ª vez na Assembleia dos Bispos

"As Diretrizes irão ajudar muito as dioceses a estabelecerem seus planos de ação".

Três bispos do Regional Sul 2 da CNBB participam pela primeira vez de uma Assembleia Geral da CNBB, como bispo. Dom Mário Spaki, da Diocese de Paranavaí, Dom Carlos José de Oliveira, da Diocese de Apucarana, e Dom Walter Jorge Pinto, da Diocese de União da Vitória.

Dom Walter Jorge, novo bispo de União da Vitória, no Centro de Eventos padre Victor Coelho, em Aparecida – SP, local da 57ª Assembleia dos Bispos. (Foto: Jorge Teles).

 

Em entrevista ao jornalismo da Rede Católica de Rádio do Paraná, Dom Walter Jorge falou que participar da Assembleia é uma experiência gratificante por ter contato com lideranças da Igreja que têm um forte engajamento no seguimento do Cristo.

“Participar de um evento tão grandioso na Igreja, que vai definindo os rumos para nossa ação evangelizadora, estar no meio do episcopado brasileiro, gente que conhecemos as vezes só de nome, mas sabemos da grandiosidade de sua vida, da sua luta, é muito bonito, e gratificante”, expressou o novo bispo de União da Vitória.

Documento das Diretrizes vigentes até 2019. Imagem Divulgação.

Ao falar dos trabalhos para definir as novas Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, Dom Walter Jorge disse que mesmo havendo um texto revisado de anos anteriores, novas preocupações na realidade do Brasil foram contempladas. “A Comissão trouxe um texto muito bom, mas houve a contribuição de muita gente ainda. Há uma sintonia muito grande com os desafios do nosso tempo no Brasil. As Diretrizes irão ajudar muito as dioceses a estabelecerem seus planos de ação”, contextualizou ele. 

Participando junto com os demais bispos no Retiro que aconteceu no sábado e domingo na Assembleia Geral, Dom Walter Jorge partilhou a importância desse momento no evento. “Foi de uma riqueza muito grande. Essa pausa nos sintoniza ainda mais com o Senhor, e sobretudo agora para as eleições da nova presidência, para que não aconteça só no esforço humano o que estamos fazendo, mas que esteja em sintonia com o Senhor do Reino, para que vivamos o Seu projeto e não apenas o nosso projeto”, testemunho o bispo.

Bispos se dirigindo às cabines de votação para a nova Presidência. (Imagem Divulgação).

Na semana em que os bispos irão escolher a nova presidência da CNBB, composta por: presidente, vice-presidente, segundo vice-presidente, e secretário geral, o bispo de União da Vitória esclareceu que diferente do que a mídia está colocando sobre tensões existentes no processo de eleição, o clima entre eles está na forma da comunhão. “Muito diferentemente do que a imprensa tem veiculado, que há um clima de tensão, pelo contrário. Há um clima comunhão entre nós, muito bonito. Não há brigas de poder, de lados que se opõem de luta acirrada. Cada um tem seus pontos de vista, mas isso não nos divide, ao ponto de gerar um clima tenso, polarizado, como a imprensa tem falado”, esclareceu Dom Walter Jorge. 

A 57ª Assembleia Geral da CNBB, que teve início no dia 01 de maio, irá até na sexta-feira, 10, com a apresentação das novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil, para o próximo quadriênio, 2019-2023, que será noticiada oficialmente pela nova presidência da CNBB, eleita nesta semana.

Entrevista com Dom Walter Jorge:

Áudio e Foto: jornalista Jorge Teles
Descrição de áudio e Postagem: Setor de Comunicação
Diocese de União da Vitória

FOTOS

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.